PS

PS traça "panorama muito negro" de dois anos de Governo PSD/CDS-PP

PS traça "panorama muito negro" de dois anos de Governo PSD/CDS-PP

O PS traçou, esta quarta-feira, um "panorama muito negro" após dois anos de Governo PSD/CDS-PP, acusando o executivo de Passos Coelho de "incompetência, arrogância e impreparação" e de promover o "medo" sobre o futuro.

"Dois anos depois, o país está pior. Dois anos depois, os portugueses vivem pior. Muito pior", afirmou o deputado do PS Miguel Laranjeiro, na abertura de uma interpelação ao Governo sobre "política de emprego e combate à exclusão social" agendada pela bancada parlamentar socialista.

No dia em que se assinala o segundo aniversário da tomada de posse do Governo PSD/CDS-PP, o deputado socialista não deixou de fazer um balanço das políticas promovidas, concluindo que após estes anos de "dois anos de desastre" o que existe é um panorama "muito negro".

"Dois anos depois estamos muito pior, por responsabilidade exclusiva de um Governo que escolheu a política do empobrecimento, da austeridade fosse qual fosse o resultado", disse, falando em "insensibilidade gritante" e "taxa de desemprego trágica".

Defendendo que o Governo tem de ser confrontado com a sua "incompetência, a sua arrogância, com a sua impreparação que cada dia que passa é mais visível", Miguel Laranjeiro acusou o executivo de querer "fechar o país".

Contudo, acrescentou, "os portugueses irão dar a resposta e mais depressa despejam este Governo por incompetência, do que deixam destruir Portugal por completo".

Na sua intervenção, o deputado socialista recordou também as promessas eleitorais de Passos Coelho, acusando o primeiro-ministro de ter "faltado à palavra dada aos eleitores", enquanto de "orçamento em orçamento vai reproduzindo uma política e uma receita que falhou".

"Não precisamos de um Governo que promove o medo entre os portugueses. Medo de perderem o emprego, o medo de não saberem a reforma que vão receber no mês seguinte, o medo de não terem dinheiro para uma consulta médica", sustentou.

Na primeira intervenção na interpelação ao Governo sobre emprego e combate à exclusão social, o deputado socialista deixou ainda alguns dados sobre o desemprego, recordando que as políticas seguidas "atiraram para o desemprego mais de 278 mil" trabalhadores nos últimos dois anos.

"Nunca houve um período de destruição de emprego como nestes dois anos", frisou, recordando que Passos Coelho disse que o desemprego tem de ser visto como "uma oportunidade".

Relativamente à exclusão social, Miguel Laranjeiro apontou vários exemplos, como o caso dos idosos que não compram os medicamentos de que precisam, porque "o Governo lhes retirou rendimentos", concluindo que "os idosos são as principais vítimas da saga do Governo contra tudo o que existe".

"O que queremos é promover a economia, o emprego e a inclusão social. Infelizmente para Portugal e os portugueses nada disto está no Orçamento retificativo nem em nenhum documento de estratégia do Governo", disse, repetindo que "há alternativas" e "um outro caminho".