António José Seguro

PSD diz que Seguro se transformou em criador de "sound bites" sem sentido

PSD diz que Seguro se transformou em criador de "sound bites" sem sentido

O PSD lamentou, este sábado, que o secretário-geral socialista se tenha transformado num criador de "sound bites" sem sentido, criticando a forma demagógica como o PS responsabilizou o Governo pelos números das exportações.

"Só tenho a lamentar o facto de ver o secretário-geral do PS, do maior partido da oposição, transformar-se a cada dia que passa apenas num criador de 'sound bites' que não acrescentam nada em termos de alternativa ao espaço público e à discussão política que devia ser mais concreta e mais plena de conteúdo. Acho que os portugueses estão um pouco fartos desses 'sound bites' sem sentido", disse vice-presidente da bancada do PSD Luís Menezes aos jornalistas quando questionado sobre as declarações de António José Seguro de sexta-feira relativamente à visita da chanceler alemã, Angela Merkel.

O líder do PS afirmou que segunda-feira será um dia "ideal" para travar a atual austeridade, porque estarão juntos em Portugal a mentora dessa política, a chanceler alemã, e o principal executante, o primeiro-ministro português.

Relativamente às declarações de Seguro sobre a análise dos números das exportações, que disse recear que a diminuição de 6,5 por cento das exportações desde o início do ano não resulte apenas da greve nos portos, mas também das políticas de austeridade do Governo, o deputado social-democrata lamentou "o facto de ver o secretário-geral do PS a falar de o número das exportações responsabilizando o Governo da forma demagógica como o fez".

"O que nós gostávamos de ter visto era o secretário-geral do PS dizer com clareza se apoia uma greve prolongada como aquela que está a ser feita em alguns dos portos do país. E o que é que o secretário-geral do PS tem a dizer aos portugueses relativamente a uma greve que já dura há mais de dois meses, que se prolongará pelo menos até ao fim deste mês e que já mostrou que está a prejudicar as nossas exportações", afirmou.

O líder da bancada do PSD condena assim o facto do PS, "a todo o momento que há um dado mais negativo sobre a economia nacional", o usar "para cavalgar a onda da demagogia mas como sempre nunca apresentando nenhuma alternativa ao país".

"O INE é claro na sua análise. Há todo um conjunto de situações a nível internacional que justificaram essa situação mas o INE referiu com clareza que a greve dos portos que se iniciou no mês de setembro também teve um impacto significativo e que se poderá ser medido agora ao longo dos próximos meses porque essa greve tem continuado", explicou Luís Menezes.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG