Défice

PSD responde a Seguro: "dia negro" foi 17 de maio de 2011

PSD responde a Seguro: "dia negro" foi 17 de maio de 2011

O porta-voz do PSD respondeu ao líder do PS defendendo que esta segunda-feira é "um dia histórico", em que Portugal paga "5 mil milhões de euros" de dívida pública, e que 17 de maio de 2011 é que foi "um dia negro".

Em resposta ao secretário-geral do PS, António José Seguro, que classificou o dia de hoje como "negro" para Portugal, Marco António Costa contrapôs que "hoje baixa mais de 3% o rácio da dívida", o que apontou como uma "viragem" na situação do país.

Durante um almoço na Póvoa de Varzim com elementos da candidatura local do PSD às autárquicas, o porta-voz do PSD referiu que a dívida pública paga hoje foi "contraída por um Governo do PS liderado pelo engenheiro António Guterres", e assinalou que António José Seguro fez parte desse executivo.

"Hoje Portugal confirma que teve a capacidade de ter as provisões financeiras necessárias, poupar para poder ter dinheiro para pagar aquilo que os outros deixaram", considerou. "Estamos a pagar as dívidas. Esta é a sina do PSD e deste Governo, é pagar as dívidas que os outros nos deixaram", acrescentou.

A resposta do PSD veio através do coordenador e porta-voz da direção nacional do partido, Marco António Costa, que se manifestou "estupefacto" e "chocado" com as palavras de António José Seguro.

"Dia negro para Portugal foi o dia 17 de maio de 2011", contrapôs, desafiando o secretário-geral do PS a dizer como classifica esse dia, quando foi assinado um programa de resgate financeiro acordado com o Fundo Monetário Internacional, a Comissão Europeia e o Banco Central Europeu.

"Mais negro do que esse dia foi o caminho que nos conduziu a esse dia", acrescentou Marco António Costa.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG