Política

Relvas diz que este não é um tempo para competição entre partidos

Relvas diz que este não é um tempo para competição entre partidos

O ministro-Adjunto e dos Assuntos Parlamentares considerou, esta terça-feira, a propósito das moções de censura do PCP e do BE ao Governo, que este não é um tempo para competição entre partidos e defendeu o caminho seguido pelo executivo. O debate está agendado para quinta-feira.

"O tempo que Portugal atravessa não é um tempo para competição entre partidos. Respeitamos as moções de censura, vamos ter o seu respetivo debate e o Governo vai, mais uma vez, ter oportunidade de demonstrar a importância do caminho que tem sido seguido", afirmou Miguel Relvas aos jornalistas, na Assembleia da República.

Segundo o ministro, "há hoje um reconhecimento internacional da recuperação que Portugal foi capaz de levar a efeito durante o último ano, com sacrifícios, é verdade, com obstáculos, mas é um caminho que os portugueses, no seu conjunto, têm seguido e que trará os seus resultados".

Miguel Relvas advogou que o executivo PSD/CDS-PP "tem o seu caminho bem definido, tem uma estratégia de médio e longo prazo" e manifestou-se convicto de que os resultados positivos serão visíveis no final desta legislatura.

"Há uma certeza que nós temos: no fim desta legislatura Portugal estará seguramente numa situação muito mais confortável do que aquela que encontrámos em 2011", afirmou.

O ministro prestou estas declarações aos jornalistas no final de uma reunião com as direções das bancadas e com os coordenadores do PSD e do CDS-PP para as várias comissões parlamentares, que durou perto de duas horas.

De acordo com fonte do seu gabinete, esta reunião teve como objetivo "articular a ligação entre o Governo e os grupos parlamentares" e "preparar a nova sessão legislativa".

PUB

Em seguida, ao contrário do que tem sido habitual, Miguel Relvas participou na conferência de líderes parlamentares, onde o Governo tem sido representado pela secretária de Estado dos Assuntos Parlamentares e da Igualdade, Teresa Morais.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG