Política

Seguro acusa Passos Coelho de "paixão e obsessão" pela austeridade

Seguro acusa Passos Coelho de "paixão e obsessão" pela austeridade

O líder do Partido Socialista acusou, este sábado, o primeiro-ministro de ter "paixão e obsessão" pela austeridade, explicando que as medidas impostas aos portugueses permitiram chegar a um valor excedentário em relação às metas de redução do défice orçamental.

"O primeiro-ministro tem uma paixão e uma obsessão sobre a austeridade", disse António José Seguro durante um jantar com militantes da região Oeste de Lisboa.

O líder socialista consubstanciou a ideia da obsessão pelo défice e pela implementação de medidas de austeridade afirmando que "Portugal tinha previsto para 2011 um défice orçamental de 5,4 por cento e que o défice vai situar-se perto dos quatro por cento, o que quer dizer que há um excedente", concluiu.

"Se também fosse primeiro-ministro teria de implementar medidas de austeridade", admitiu António José Seguro, para quem "o problema" para o PS "está no ritmo e na dose da austeridade" pedida aos portugueses pelo Governo PSD/CDS-PP.

"Há um caminho alternativo a esse e esse caminho é não aumentar a dose e aumentar o tempo desses sacrifícios para que os portugueses e as empresas possam aliviar as suas contas", sublinhou.

António José Seguro falava aos militantes durante um jantar no concelho da Lourinhã com 240 militantes da Federação Regional do Oeste do PS.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG