Política

Seguro defende a mutualização do subsídio de desemprego na Europa

Seguro defende a mutualização do subsídio de desemprego na Europa

O secretário-geral do PS, António José Seguro, defendeu esta sexta-feira, em Coimbra, a mutualização de parte do subsídio de desemprego na zona euro, passando este fenómeno social a ser também "uma responsabilidade" da União Europeia.

António José Seguro preconiza que se estabeleça um nível de taxa de desemprego predefinido, "por exemplo 7%", e que a percentagem de desempregados acima daquele valor seja da "responsabilidade da própria União Europeia".

A visão "de solidariedade da Europa seria traduzida neste princípio", afirmou o líder socialista, sublinhando que, se parte do subsídio de desemprego fosse responsabilidade da União Europeia, esta "deveria ter recursos para criar emprego e não para o subsidiar".

Segundo António José Seguro, com esta medida, a União Europeia daria "mais atenção a uma política económica robusta", pois "os países com as taxas de desemprego mais aceitáveis - se é que há taxas aceitáveis - seriam chamados a intervir".

O dirigente do PS sublinhou ainda a necessidade de Portugal utilizar parte dos fundos comunitários num "programa específico de requalificação" para os "mais de 310 mil portugueses que já desistiram de procurar emprego e que são considerados inativos".

"Nós não desistimos deles nem os deixaremos à sua sorte", acrescentou.

Além desse investimento, António José Seguro pretende dar prioridade aos jovens portugueses que emigraram e que quer que regressem ao seu país.

"Só nos dois últimos anos e meio saíram mais de 200 mil portugueses" do país, "situação dura que não podemos aceitar, como não podemos aceitar termos mais de 800 mil desempregados inscritos [no Instituto de Emprego] e aos quais acrescem" os inativos, salientou o dirigente do PS, considerando que é inaceitável "esta tragédia no plano nacional e no plano europeu".

A Europa "criou uma união económica e monetária ímpar, mas com 18 políticas orçamentais completamente diferentes", disse, referindo-se aos países da zona euro, para afirmar que a união económica e monetária está "incompleta".

O secretário-geral socialista revelou que, "em breve", será anunciada a lista de candidatos do PS às eleições europeias de 25 de maio, da qual apenas é conhecido Francisco Assis, "cabeça de uma excelente lista".

António José Seguro falava, esta noite, na sessão de encerramento do fórum "Relaunching Europe", promovido pelo grupo da Aliança Progressista dos Socialistas e Democratas (S&D) do Parlamento Europeu, que decorreu no auditório Bissaya Barreto, em Coimbra.

Na iniciativa participaram, entre outros, Francisco Assis, Hannes Swoboda, líder do S&D, Pervenche Berès, eurodeputada francesa e presidente da Comissão do Emprego e Assuntos Sociais, a eurodeputada socialista Edite Estrela, o anterior e o atual secretários-gerais da UGT, João Proença e Carlos Silva, respetivamente.