Moção de censura

Seguro vai apresentar moção de censura ao Governo de Passos Coelho

Seguro vai apresentar moção de censura ao Governo de Passos Coelho

A Comissão Política Nacional do PS aprovou por unanimidade a proposta de António José Seguro de apresentar uma moção de censura ao Governo liderado por Pedro Passos Coelho. "Basta de sacrifícios" defendeu o líder socialista. "Temos de parar. O Governo falhou. O país está num labirinto sem esperança", justificou. "Esta moção não vai acentuar nenhuma crise. Ela é a solução", assegurou.

"O Governo falhou todos os objetivos. O país assim não vai lá. Vivemos numa situação de pré-rutura social", declarou o secretário-geral do PS, António José Seguro, na abertura da reunião da Comissão Política Nacional do PS, segundo transmitiram ao JN fontes do partido.

"O ministro das Finanças, na passada terça-feira, selou o falhanço do governo. Piorou as mais negativas perspetivas, oferecendo a uma geração inteira um futuro negro. Vivemos uma tragédia social", acrescentou o líder socialista, apresentando ao partido a proposta de avançar com uma moção de censura ao Executivo liderado por Pedro Passos Coelho.

"O resultado da moção de censura não depende de nós", reconheceu o líder socialista, numa alusão ao facto de as bancadas que suportam o Governo, PSD e CDS, terem maioria na Assembleia da República. "Está sim, nas nossas mãos, apresentar aos portugueses e às portuguesas uma saída para este impasse, para este bloqueio a que este Governo nos condenou", declarou.

"Esta moção de censura é um ponto de chegada e um ponto de partida. Ponto de chegada que marca o fim deste Governo. Os resultados desastrosos que conhecemos são da exclusiva responsabilidade do Governo. É também um ponto de partida porque marca o arranque da alternativa para sair da crise e para sair do labirinto" em que estamos, defendeu o secretário-geral do PS.

"Precisamos da renegociação das nossas condições de financiamento. O caminho é difícil e estreito. Temos de redirecionar o memorando para que coloque a tónica no crescimento económico e na criação de emprego", frisou Seguro. "Esta moção não vai acentuar nenhuma crise. Ela é a solução para os problemas que o país tem", assegurou o líder socialista.

A proposta mereceu o apoio da Comissão Política Nacional do PS e foi aprovada por unanimidade, segundo revelou Vera Jardim à saída da reunião, pouco antes da meia-noite.

"Bati-me por um caminho diferente"

A reunião da Comissão Política Nacional do PS estava marcada para as 21.30 horas mas teve início um pouco mais tarde, com um ponto único da ordem de trabalhos: a análise da atual situação política.

À entrada para a reunião, António José Seguro disse que não é "pressionável". "Decido em função das minhas convicções e ouvindo as pessoas que devo ouvir", frisou. Referiu, depois, que a "realidade do país impressiona", já que muitos portugueses "vivem uma situação dramática, com quase um milhão de desempregados e com o país em recessão económica".

Confrontado com as posições do ex-presidente da República Mário Soares e do ex-candidato presidencial Manuel Alegre, ambos a favor da apresentação de uma moção de censura ao Governo, o líder socialista respondeu: "Respeito muito a opinião de Mário Soares e de Manuel Alegre".

"Tomo em conta todas as opiniões, tomo em conta a situação difícil dos portugueses. Fiz várias vezes propostas alternativas ao caminho que está a ser seguido, avisei várias vezes o Governo, disse ao primeiro-ministro [Pedro Passos Coelho] no debate [parlamentar] de urgência [convocado pelo PS] que ele tinha uma última oportunidade, escrevi a todos os dirigentes da troika e bati-me por um caminho diferente", referiu António José Seguro.

De acordo com o líder do PS, os socialistas vão continuar num "caminho de responsabilidade de apresentar alternativas".

"O que os portugueses espera do país são soluções para os seus problemas. Estou muito tranquilo e muito sereno, porque só está tranquilo e sereno quem tem a convicção do que deve fazer neste momento difícil da vida do país", acrescentou.

*Com Agência Lusa

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG