Política

"Troika" quer "continuar a assaltar", acusa Jerónimo de Sousa

"Troika" quer "continuar a assaltar", acusa Jerónimo de Sousa

O secretário-geral do PCP criticou a 10.ª avaliação ao programa de assistência económico-financeira a Portugal por parte da 'troika' porque considera que aquela entidade quer "continuar a assaltar direitos" dos portugueses.

"A verdade é que a 'troika' quer continuar a assaltar os direitos dos trabalhadores, agora em duas áreas importantíssimas: liquidação da contratação coletiva e simplificação brutal de despedimentos. Ou seja, não precisariam de baixar os salários no setor privado porque, através desses instrumentos, levaria ao empobrecimento, de direitos e de salário", condenou.

Jerónimo de Sousa falava após reunião do Comité Central do partido, na sede lisboeta.

"Para a 'troika', naturalmente, é positiva (a avaliação), já que conseguiu que este Governo continue a executar este pacto de agressão, esta política de saque dos trabalhadores, reformados e pensionistas. Esta política de transferência de lucros fabulosos para as grandes fortunas nacionais e estrangeiras. É razão para a 'troika' se sentir satisfeita", continuou.

O Governo anunciou hoje que a décima avaliação regular da 'troika' ao programa de resgate de Portugal "foi positiva" e reiterou a intenção do executivo de "terminar o programa na data prevista".

Esta avaliação da 'troika' (Fundo Monetário Internacional, Comissão Europeia e Banco Central Europeu) teve início a 04 de dezembro e é o antepenúltimo exame regular ao programa de resgate português, que termina em junho de 2014.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG