Política

"Verdes" exigem condenação de Ulrich, Passos Coelho diz nem ter conta no BPI

"Verdes" exigem condenação de Ulrich, Passos Coelho diz nem ter conta no BPI

A deputada do Partido Ecologista "Os Verdes" (PEV), Heloísa Apolónia, exigiu, esta sexta-feira, ao primeiro-ministro a condenação "veemente" das palavras do banqueiro Fernando Ullrich, mas Passos Coelho escusou-se a comentar e disse nem ter contas no BPI.

"Condene veementemente as palavras deste banqueiro em defesa da honra do país", declarou a parlamentar ecologista, acusando o Governo de andar a "salvar o sistema financeiro sem que isso se reflita na economia", já que as "micro e médias empresas só sentem o estrangulamento", na sua intervenção no debate quinzenal, no parlamento.

Para Heloísa Apolónia, a recente declaração do presidente executivo do BPI, que citou o exemplo dos "sem-abrigo" para defender uma tese anterior no sentido de que Portugal "aguenta" mais sacrifícios "é muito grave" e "há limites para gozar com a situação do país".

"A extrema-esquerda do parlamento está hoje muito preocupada com o BPI. Não tenho ações, nem participações, nem contas no BPI e tenho muita dificuldade em responder nessa matéria", retorquiu o líder do Executivo.

Passos Coelho reiterou haver "nos principais sete bancos portugueses, a necessidade de restabelecer os respetivos rácios de solvabilidade e capitalização".

O primeiro-ministro afirmou que "o interesse público foi bem defendido" a bem da "estabilidade do sistema" e "os bancos portugueses defenderam o interesse nacional ao adquirir títulos da dívida pública portuguesa", rejeitando tratar-se de "especulação financeira".

"O que é que as empresas ganham com esta recapitalização do BPI para a qual todos nó demos e não recebemos nada em troca?", questionara a deputada do PEV, salientando que as falências de empresas aumentaram em mais de 40% enquanto a banca "lucrou 250 milhões de euros".

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG