segurança

Autor do triplo homicídio em Queluz em prisão preventiva

Autor do triplo homicídio em Queluz em prisão preventiva

O autor confesso do triplo homicídio ocorrido num elevador de um prédio em Queluz, Sintra, ficou em prisão preventiva e foi transferido para a prisão/hospital de Caxias, disse, esta sexta-feira, à agência Lusa fonte da Polícia Judiciária.

"O suspeito teve alta esta semana do Hospital de São José [Lisboa]. Foi presente a primeiro interrogatório judicial e o juiz aplicou-lhe a medida de coação de prisão preventiva. Depois foi transferido para a prisão/hospital de Caxias", esclareceu a mesma fonte.

O detido, de 58 anos, entregou-se às autoridades depois de alegadamente ter incendiado, a 13 de agosto, um elevador com álcool, onde estavam duas mulheres e um homem. No mesmo dia confessou à polícia que "apenas pretendia provocar um susto às vítimas".

O crime, que provocou a morte ao homem e às duas mulheres, mãe e filha, de 70 e 34 anos, ocorreu num elevador de um prédio na rua de Timor, em Queluz, Sintra. A terceira vítima mortal é um segurança de 24 anos, contratado por uma das mulheres, que alegadamente já tinha sido ameaçada de morte pelo suspeito.

Os motivos estarão relacionados com "problemas de negócios" de duas clínicas onde o homem seria sócio da vítima mais velha.

O suspeito sofreu queimaduras na cara, nos dedos das mãos e nos joelhos. Inicialmente foi assistido no Hospital Amadora-Sintra, mas por não dispor de unidade de queimados, aquele hospital ordenou a transferência para o Hospital de São Francisco Xavier, em Lisboa.

Posteriormente foi transferido para a unidade de queimados do Hospital de São José, onde esteve internado durante algumas semanas e foi submetido a várias intervenções cirúrgicas.

Esta semana teve alta hospitalar e depois de presente a primeiro interrogatório judicial, o juiz de instrução criminal decretou a prisão preventiva, a medida de coação mais gravosa.

Encontra-se detido no hospital/prisão de Caxias.