BPN

BPN estava sob suspeita mas foi beneficiado até à nacionalização

BPN estava sob suspeita mas foi beneficiado até à nacionalização

Grupo bancário de Oliveira Costa foi consultor financeiro privilegiado nas parcerias público-privadas (PPP). Vítor Constâncio explica, esta sexta-feira, ao Parlamento supervisão do Banco de Portugal.

Nasceram na década de 90 e, antes de se revelarem um fardo demasiado pesado para os contribuintes portugueses, foram cúmplices: o BPN aconselhou o Estado, numa ótica financeira, em boa parte das PPP.

Esta sexta-feira, ao ser inquirido na comissão parlamentar de inquérito ao BPN, o anterior governador do Banco de Portugal (BdP), Vítor Constâncio, também ali pode deixar um contributo para a comissão de inquérito sobre as parcerias público-privadas (PPP). Pode ajudar a esclarecer por que é que, apesar da supervisão do BdP, o Grupo BPN foi beneficiado, até à sua nacionalização, em 2008, com ajustes diretos do Estado para prestar consultadoria financeira nas PPP.

Ler mais na versão e-paper ou na edição impressa

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG