segurança

Fábio Coentrão julgado por não pagar a advogada

Fábio Coentrão julgado por não pagar a advogada

Uma advogada da Póvoa de Varzim acusa Fábio Coentrão de não lhe ter pago uma dívida de dois mil euros, contraída em junho de 2010, quando o futebolista a contactou para defender um amigo de infância, detido por tráfico de droga, em Vila do Conde.

"Fui advogada oficiosa do Fábio num processo de ofensas corporais à porta de uma discoteca e não houve problemas. Quando um amigo dele foi preso com haxixe, ligou-me e pediu-me para o defender. Disse-me que assumiria todas as despesas. Eu cumpri a minha parte e os honorários eram de 2500 euros", explicou, ao JN, Eva Vilaça, a advogada, que, no ano passado, dois dias antes do julgamento do amigo de Coentrão, garante ter recebido do jogador uma transferência de 500 euros. O amigo foi condenado e a pena suspensa, em dezembro último. Desde então, Fábio nunca mais a contactou. "Tentei por vários meios contactá-lo para que ele pagasse, mas tive de recorrer ao tribunal", disse Eva Vilaça.

Ao que tudo indica, o jogador não deverá comparecer hoje no Tribunal da Póvoa. O julgamento já teve uma sessão, mas foi imediatamente suspensa na tentativa das partes entrarem em acordo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG