corrupção

Inspetor da Autoridade do Trabalho condenado a cinco anos e meio de prisão

Inspetor da Autoridade do Trabalho condenado a cinco anos e meio de prisão

Um inspetor principal da Autoridade para as Condições do Trabalho foi, esta sexta-feira, condenado a cinco anos e meio de prisão efetiva por corrupção, anuncia uma nota publicada pela Procuradoria Geral Distrital de Lisboa.

O tribunal do Campus da Justiça da capital condenou ainda duas outras pessoas, também por corrupção, a quatros anos e 2,5 anos de prisão, mas nestes casos as penas foram suspensas.

Uma empresa envolvida no processo foi condenada ao pagamento de uma multa de 50 mil euros por corrupção ativa.

PUB

O inspetor, condenado pelos crimes de corrupção ativa, branqueamento, falsificação de documentos e violação do segredo, terá de pagar ao Estado 14.190 euros que terá recebido ilicitamente e ficou ainda proibido pelo tribunal de desempenhar funções em cargos públicos durante cinco anos.

Contactada pela agência Lusa, a Autoridade para as Condições de Trabalho escusou fazer qualquer comentário sobre a condenação do seu funcionário ou prestar qualquer informação adicional.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG