segurança

Apanhados a furtar no antigo sanatório de Paredes de Coura

Apanhados a furtar no antigo sanatório de Paredes de Coura

A GNR surpreendeu três homens a furtar diverso material no interior do antigo sanatório de Paredes de Coura, equipamento alvo de vários atos de vandalismo desde que foi desativado, há mais de uma década.

Segundo fonte da GNR, os três homens foram detidos segunda-feira, no interior do edifício, na posse de "diverso material de corte de ferro e outras ferramentas que estavam a ser utilizadas na prática do furto".

Os indivíduos, com idades compreendidas entre os 29 e os 48 anos, são todos residentes no concelho de Ponte de Lima e tinham entrado no edifício "através do escalamento do portão".

O antigo sanatório de Mozelos, Paredes de Coura, funcionou durante mais de 70 anos, tendo sido convertido em meados dos anos noventa do século passado em hospital psiquiátrico. A desativação do espaço aconteceu em 2002.

Em 2008, o Centro Hospitalar do Alto Minho, proprietário do edifício, anunciou a intenção de o vender, numa altura em que um grupo espanhol demonstrou interesse em transformar a área, com 140 hectares, num campo de golfe de montanha.

O investimento deveria rondar os 50 milhões de euros mas a hipótese nunca se concretizou.

Entretanto, segundo a autarquia local, o imóvel, que continua a ser propriedade pública, tem sido alvo de vários atos de vandalismo.

"Está completamente esventrado e já não deve ter muito para roubar. Foi totalmente vandalizado nos últimos anos e lamento que ainda não se tenha encontrado uma solução para todo aquele património", explicou à agência Lusa o presidente da Câmara de Paredes de Coura, António Pereira Júnior.

O caso desta semana surgiu do alerta à GNR feito por populares, tendo resultado ainda a na apreensão do veículo no qual os três suspeitos se faziam transportar.

Os três foram notificados para comparecer, esta terça-feira à tarde, no Tribunal de Paredes de Coura para primeiro interrogatório judicial.

ver mais vídeos