segurança

Assassinado por estacionar frente a rampa de garagem

Assassinado por estacionar frente a rampa de garagem

Sem lugar para estacionar, numa avenida do Porto, Alberto Correia Vieira parou o carro frente a uma rampa de garagem. O dono não gostou e esvaziou-lhe os pneus. Mas achou pouco. Meia hora depois, matou-o à facada.

Não foi mais do que um insignificante assunto de trânsito, mas terminou de uma forma brutal, esta sexta-feira, ao final da tarde, na Avenida dos Combatentes, no Porto. Eram 17.30 horas, quando Alberto Correia Vieira, 58 anos, residente na Rua Nuno Alvares, em Gulpilhares, Gaia, à falta de lugar para estacionar, decidiu parar a carrinha Renault Megane diante de uma rampa de garagem de uma moradia, no 528 daquela artéria, onde reside Álvaro Luís Guedes, de 69 anos, na companhia da mãe, de 96 anos.

Da janela Álvaro viu o automobilista e não esteve com meias medidas: deixou-o afastar-se, foi até à viatura e esvaziou os quatro pneus. Quando Alberto regressou e deu conta do sucedido, entrou no carro e conduziu devagar até ao posto da BP, a pouco metros dali. E foi aí, quando repunha o ar nos pneus, que Álvaro o surpreendeu: "Então, és tu que estacionas frente à minha rampa?". E sem esperar resposta - segundo a versão dada às autoridades - desferiu-lhe uma facada que o prostrou logo.

Ler mais na versão e-paper ou na edição impressa