segurança

Colegas e escutas traíram GNR corruptos

Colegas e escutas traíram GNR corruptos

Os quatro militares da GNR presos pela PJ por suspeitas de corrupção foram traídos pelos colegas, que os denunciaram, e por escutas telefónicas, das quais decorrem indícios de terem recebido "luvas" de chineses.

Os indivíduos, entre os quais o ex-comandante da GNR de Vila do Conde, Rui Silva, estão indiciados por terem recebido dinheiro e "prendas", incluindo alimentos e vestuário, de comerciantes da Zona Industrial de Varziela, conhecida como "Chinatown".

De acordo com informações recolhidas pelo JN, não eram precisos montantes ou bens de elevado valor para "comprar" em especial os guardas Pedro Cardoso, Márcio Gonçalves e Paulo Pinto, com idades entre 25 e 30 anos. Pelo contrário: estão em causa valores que não impressionam. Nas lojas, os militares serviam-se à vontade, levando os produtos que queriam sem pagar. Mais relevante é o longo período em que funcionou o esquema, investigado pela PJ do Porto desde maio do ano passado.

Ler mais na versão e-paper ou na edição impressa