segurança

Condenado a 17 anos de prisão por violação

Condenado a 17 anos de prisão por violação

O tribunal de Chaves condenou, esta segunda-feira, a 17 anos de prisão, um homem acusado de violar duas mulheres, uma delas com 13 anos, em Chaves, sentenciando-o ainda ao pagamento de uma indemnização de 15 mil euros a cada vítima.

Jorge Prazeres, de 48 anos, natural de Vidago, Chaves, estava acusado pelo Ministério Público (MP) da prática de seis crimes: dois de violação consumada, um na forma tentada, dois de coação sexual e um de ameaça.

Além dos 17 anos de prisão e da indemnização de 15 mil euros a cada vítima de violação, foi condenado ao pagamento das custas processuais e hospitalares.

O julgamento de Jorge Prazeres começou, a 14 de Novembro, e decorreu à porta fechada, no qual o acusado se remeteu ao silêncio e prescindiu de ouvir a acusação pela qual estava indiciado.

Sem arrependimento

O colectivo de juízes deu como provado todos os factos, salientando que Jorge Prazeres não mostrou "qualquer arrependimento" pela prática dos crimes, mesmo já sendo reincidente e tendo estado preso pela execução dos mesmos.

Por isso, o colectivo considerou que os anos em que Jorge Prazeres esteve na cadeia não foram "suficientes", nem lhe serviram de "correcção", daí o agravamento da pena.

Referindo ainda que o violador não apresentou, na realização dos exames psicológicos, qualquer traço de doença mental, mas "apenas" alguma instabilidade emocional.

Jorge Prazeres, segundo o colectivo, forçava as vítimas a relações sexuais sempre sob ameaça de armas brancas e sem uso de preservativo.

À entrada do tribunal local, familiares e amigos de uma das duas vítimas de violação insultaram, ameaçaram e tentaram agredi-lo, mas foram impedidos pelos guardas prisionais.

No final da leitura do acórdão, Jorge Prazeres saiu pela porta traseira do tribunal para evitar cruzar-se com os familiares e amigos da vítima.

Violou menina de 13 no elevador

A última violação pela qual foi sentenciado ocorreu em 01 Fevereiro de 2010, num prédio em Chaves. O homem seguiu uma menina de 13 anos até ao prédio onde morava, forçou-a a entrar no elevador e violou-a no interior do espaço, sob ameaça de uma navalha, acabando por fugir depois de ouvir um barulho.

Jorge Prazeres foi ainda condenado por dois crimes de violação ocorridos em 2009, em Chaves, sendo um deles na forma tentada.

A violação e a tentativa de violação ocorreram no circuito pedonal de Chaves, junto ao rio Tâmega.

Uma das vítimas de violação, de 23 anos, estava a caminho de casa quando avistou Jorge Prazeres que veio em sua direcção, tapou-lhe a boca, ameaçou-a com uma navalha, deitou-a ao chão e violou-a.

Usando a mesma "técnica", Jorge Prazeres tentou violar uma mulher que passeava com o cão na mesma zona, mas não conseguiu devido à chegada de um casal.

Reincidente

O condenado é ainda autor de um crime de importunação sexual, em 2010, na garagem de um prédio, mas as vítimas, mãe e filha de oito anos, conseguiram fugir.

Divorciado e desempregado, Jorge Prazeres tem cadastro criminal pela prática dos crimes de violação, coação sexual, roubo e furto, tendo cumprido pena de prisão por quatro vezes.

Jorge Prazeres tem ainda no seu registo criminal uma fuga da cadeia de Custóias.

Conteúdo Patrocinado