segurança

Corrupção na Administração Regional de Saúde do Norte

Corrupção na Administração Regional de Saúde do Norte

Através de dois funcionários, a Administração Regional de Saúde do Norte foi palco de um esquema de corrupção que durou seis anos. Donos de clínicas pagavam luvas, carros e telemóveis.

Quem ficou a perder - de acordo com a acusação do Departamento de Investigação e Ação Penal do Ministério Público do Porto por corrupção contra cinco arguidos - foi o Serviço Nacional de Saúde, no âmbito de convenções com quatro clínicas de Valongo, Vizela e Paços de Ferreira. São elas a "PMV-Policlínica SA", "J. R. Teixeira, Unipessoal, Lda." (ambas em Valongo), "Radelfe-Clínica de Radiologia de Paços de Ferreira, SA" e "Vizelterapia-Clínica de Fisiatria, Lda" (Vizela).

Em causa está a atuação da coordenadora Maria Lúcia Correia, 58 anos, e do assistente técnico Pedro Sousa, 61 anos, entre 2000 e 2006.

Leia mais na edição e-paper ou na edição impressa