segurança

Dois ex-militares da GNR condenados a penas de prisão por corrupção

Dois ex-militares da GNR condenados a penas de prisão por corrupção

Dois ex-militares da Brigada de Trânsito da GNR de Santa Maria da Feira foram condenados a penas de prisão efectivas de cinco anos e meio e sete anos por crimes de corrupção passiva e abuso de poder.

O Tribunal de Estarreja decretou, esta segunda-feira, penas de prisão efectiva para Vítor Liberato e Manuel Augusto, os dois principais arguidos do processo, num total de 13 arguidos.

Estavam acusados de fazer parte de um esquema de perdão de multas a camionistas a troco de almoços e bens, como combustível.

Vítor Liberato foi condenado a sete anos de prisão pelos crimes de corrupção passiva, abuso de poder e prevaricação na forma tentada.

Manuel Augusto viu decretada a pena de cinco anos e seis meses de detenção por crimes de corrupção passiva e abuso de poder.

Três arguidos foram absolvidos e outros oito foram condenados a penas de prisão de multa.

Conteúdo Patrocinado