segurança

Estudante que matou mãe adoptiva condenado a 17 anos e meio

Estudante que matou mãe adoptiva condenado a 17 anos e meio

O aluno de Medicina que matou a mãe adoptiva, em 2010, em Coimbra, foi hoje, quarta-feira, condenado a uma pena de 17 anos e meio de prisão efectiva.

Luís Castanheira, 24 anos, tinha negado, durante o julgamento, que tivesse premeditado o crime, como referia a acusação, mas confessou ter esfaqueado a mãe, de 55 anos, após uma discussão em que ela lhe chamou "inútil" e manifestou-se arrependida de o ter adoptado. O crime aconteceu na madrugada de 7 de Setembro de 2010.

O arguido justificou-se perante o tribunal, dizendo ter vivido, anos a fio, sob a pressão de ter de entrar no curso de Medicina e depois para ter boas notas. "Quando ela me diz que mais valia não me ter ido buscar [para adopção], que sempre tinha querido ter uma menina... Eu já não aguentava ouvir mais aquilo", contou Luís Castanheira, entre soluços.

Conteúdo Patrocinado