segurança

Falso herdeiro do Pingo Doce condenado a 10 anos de prisão

Falso herdeiro do Pingo Doce condenado a 10 anos de prisão

José Carlos Martins foi condenado por oito crimes de burla qualificada, no valor de três milhões de euros. A ex-mulher foi sentenciada a dois anos e meio de prisão efetiva por cumplicidade.

A sentença que foi lida, esta quarta-feira, no Porto, deu como provados oito crimes de burla qualificada, no valor de três milhões de euros, que valeram a José Carlos Martins uma pena de 10 anos de prisão. Entre as principais vítimas estão jogadores de futebol, como Jorge Couto, Hélder Batista, Sérgio Leite e Ricardo Pereira, além de empresários.

A ex-mulher, Cláudia, foi condenada a prisão efetiva de dois anos e meio, por cumplicidade com o principal acusado do caso.

Os factos remontam a 1996, altura em que José Carlos Martins começou a fazer-se passar por "Ricardo Martins", herdeiro do grupo Jerónimo Martins, burlando jogadores e empresários de futebol que lhe confiaram dinheiro para "investimentos em imobiliário".

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado