Violência Doméstica

Mulher morta em Setúbal já se tinha queixado de violência doméstica

Mulher morta em Setúbal já se tinha queixado de violência doméstica

A mulher que foi assassinada em casa pelo próprio marido, na zona de Vanicelos, em Setúbal, já tinha apresentado queixa por violência doméstica, mas a situação foi considerada de baixo risco, revelou a PSP local.

"A PSP confirma a existência de uma denúncia por violência doméstica, no âmbito de um processo de divórcio, que foi avaliada nos termos do risco e de acordo com a vontade expressa pela senhora no momento em que se deslocou às instalações policiais", refere, em comunicado, a PSP.

"Face ao baixo risco da situação, esta apenas ficou para acompanhamento e a vítima regressou por vontade expressa da mesma para a sua residência", acrescenta o comunicado.

Amigos da família revelaram à Lusa que a vítima teria apresentado queixa por violência doméstica na última quarta-feira, alegadamente depois de ter sido alvo de agressão ou de ameaças por parte do marido, poucas horas antes de ter ocorrido o homicídio.

Contactada pela Lusa, a PSP de Setúbal escusou-se a revelar quando foi apresentada a queixa por violência doméstica, confirmando apenas a existência da referida queixa.

Em comunicado, a PSP de Setúbal refere que foi alertada, através de uma chamada para o número nacional de emergência (112), para um possível crime de homicídio em Vanicelos, cerca das 4.45 horas, e que foram enviados de imediato meios policiais para o local.

De acordo com a PSP, uma equipa do INEM (Instituto Nacional de Emergência Médica) ainda tentou, sem êxito, reanimar a mulher, que apresentava "sinais de violência e vestígios de sangue".

A PSP esclarece ainda que, após mediação verbal com psicólogos do INEM, foi possível retirar uma arma branca ao suspeito, que apresentava diversos golpes de faca no corpo.

O presumível homicida, que foi transportado, sob detenção, ao Hospital de São Bernardo, permanece internado mas não corre risco de vida.