segurança

Padre abusador gosta de brincar aos travesti e vê pornografia na net

Padre abusador gosta de brincar aos travesti e vê pornografia na net

PJ e peritos descobriram um pedófilo compulsivo, que gosta de vestir-se de mulher e consome pornografia, escondido no padre brincalhão e competente descrito por alguns alunos e colegas que o defenderão em tribunal.

Luís Miguel Campos Mendes, 37 anos, começa a ser julgado no dia 19. Responde por 18 crimes de abuso sexual de criança, abuso sexual de menores dependentes e coação sexual contra internos do Seminário Menor do Fundão.

O padre nega tudo e, no âmbito de uma perícia física no Instituto de Medicina Legal de Coimbra, constante no processo consultado pelo JN, até garantiu ser heterossexual, desmentindo os comportamentos homossexuais que lhe são imputados pelas seis vítimas. Mas, ao mesmo tempo, afirma que nunca teve relações sexuais na vida, apesar de ter tido namorada durante dois anos. Portanto, jura, celibato puro e voto de castidade cumpridos à risca.

Só que são abundantes no processo os "pecados" contrariando esta ingenuidade que Luís Mendes quer deixar transparecer. No seu computador pessoal foi encontrada pela Polícia Judiciária uma foto em que o sacerdote aparece acompanhado por um ex-aluno, ambos vestidos de mulher, risonhos e a fumar. Também foram confiscadas fotos de seminaristas seminus, em estado de excitação sexual e com partes dos corpos, como o peito, ventre e genitais, "ornamentados" com espuma de barbear, no que é classificado como praxes eróticas.