segurança

Padre suspeito de abusar de escuteira em acampamento

Padre suspeito de abusar de escuteira em acampamento

O padre António Santos, de 46 anos, foi suspenso pela diocese após denúncia de alegados abusos sexuais num acampamento de escuteiros de que foi assistente espiritual. Dirige três paróquias na Golegã.

O sacerdote foi visto pela última vez por um paroquiano, na Golegã, em meados de novembro, quando metia malas no carro. Perguntaram-lhe se ia haver missa às seis da tarde, ao que ele respondeu: "Não, estou indisposto". E nunca mais foi visto. Estava mais ou menos dado como desaparecido pela população, entre rumores dos alegados abusos , quando, na quinta-feira, um comunicado da diocese de Santarém e uma notícia do jornal local "O Mirante" vieram acabar com as poucas dúvidas quanto à natureza do seu desaparecimento. A diocese anunciou a abertura de "um processo canónico de averiguações" e informou que está "disponível para colaborar em tudo com as instâncias civis" e "próxima dos jovens e das suas famílias".

*Com Carlos Varela

Leia mais na edição e-paper ou na edição impressa

Conteúdo Patrocinado