segurança

"Rei Ghob" condenado a 25 anos de prisão

"Rei Ghob" condenado a 25 anos de prisão

O Tribunal de Torres Vedras condenou, esta quinta-feira, Francisco Leitão, o homem conhecido por "rei Ghob", a 25 anos de prisão. Leitão era acusado de quatro homicídios mas foi considerado culpado de apenas três deles.

Francisco Leitão foi considerado culpado de um homicídio qualificado, o de Joana Correia, e dois homicídios simples, de Tânia Ramos e de Ivo Delgado. Apenas não ficou provada a acusação relativa ao homicídio de António Albuquerque, um idoso sem-abrigo, conhecido por 'Pisa Lagartos.

Segundo a acusação, as três primeiras vítimas terão sido mortas por questões passionais: as duas raparigas, porque eram namoradas de jovens com quem o réu queria ter um caso amoroso, e Ivo Delgado, por não ter querido voltar a ter qualquer envolvimento com Leitão, após o desaparecimento da namorada, Tânia Ramos.

Para além da condenação a 25 anos de prisão, a pena máxima permitida em Portugal, o arguido foi condenado a pagar 350 mil euros de indemnização às famílias da vítimas.

O tribunal, com o voto vencido de um dos juízes, deu como provados quase todos os pontos da acusação.

A defesa de Francisco Leitão disse que não se revê no acórdão e anunciou já que vai recorrer da sentença.

A assistir à leitura do acórdão, que demorou cerca de 45 minutos, estavam muitos familiares das vítimas e grande parte da equipa da Polícia Judiciária que participou na investigação.

O julgamento decorre desde janeiro com tribunal de júri, composto por três juízes e quatro cidadãos, a quem competiu a decisão de condenar o arguido a 25 anos de prisão.

Recomendadas

Conteúdo Patrocinado