segurança

Trabalhadores escravizados para apanhar castanha

Trabalhadores escravizados para apanhar castanha

Na Bulgária, prometeram-lhes 50 euros por dia para apanhar castanha, mas em Portugal acabavam por receber metade e tinham de pagar comida e alojamento. Em Bragança e Valpaços, o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras detetou 34 vítimas.

Viviam em condições miseráveis, explorados por três angariadores de mão de obra que foram detidos por tráfico de pessoas para exploração laboral pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, em Trás-os-Montes, onde os cidadãos búlgaros trabalhavam na apanha da castanha. Na megaoperação policial, um outro indivíduo, também suspeito de pertencer à rede, foi detido por ser procurado em França. Tinha um mandado de captura e será hoje levado ao Tribunal da Relação de Guimarães para ser extraditado. Os outros serão presentes aos tribunais de Valpaços e Vila Real.

Leia mais na edição e-paper ou na edição impressa.