segurança

Vale e Azevedo sacristão controla hóstias e vinho

Vale e Azevedo sacristão controla hóstias e vinho

Um assume o papel de sacristão e ator, outro o de conselheiro de reclusos, dois o de cronistas no jornal da cadeia e um outro prepara o seu casamento. É assim a vida dos presos famosos na Carregueira, Sintra.

Na última edição do jornal "100 Palavras", Carlos Cruz e Jorge Ritto aproveitaram a publicação mensal do Estabelecimento Prisional da Carregueira (EPC) para mandar recados: o primeiro criticou os comentadores televisivos "impreparados" e "sem informação correta" - "justiceiros sem diploma" - e a política editorial de apelo ao "voyeurismo" de massas; já o antigo embaixador atacou os que olham para os diplomatas como pessoas que nada fazem, vivem bem, viajam muito, deslocam-se em "belos carros" e "comem croquetes em cocktails onde se conversa sobre ninharias". Já Vale e Azevedo continua a ajudar o padre nas missas celebradas na cadeia. É responsável pela gestão do stock das hóstias e do vinho. "Até a Direção e os guardas do EPC lhe têm respeito.

Leia mais na edição e-paper ou na edição impressa.

Conteúdo Patrocinado