O Jogo ao Vivo

Julgamentos

Valentim Loureiro absolvido de burla no caso "Quinta do Ambrósio"

Valentim Loureiro absolvido de burla no caso "Quinta do Ambrósio"

Valentim Loureiro foi absolvido da acusação por crime de burla no caso "Quinta do Ambrósio", mas o tribunal deu, esta quinta-feira, como provado crimes de branqueamento de capitais relativamente a outros arguidos.

José Luís Oliveira, vice-presidente da Câmara de Gondomar, o advogado fiscalista Laureano Gonçalves e Jorge Loureiro, filho de Valentim Loureiro, foram condenados a penas de um ano de dez meses de prisão, cuja execução foi suspensa pelo tribunal de Gondomar.

O advogado António Araújo Ramos, que estava acusado do crime de branqueamento de capitais, foi condenado a uma pena de um ano e meio de prisão, também suspensa.

Valentim Loureiro estava acusado e pronunciado por um crime de burla qualificada, em coautoria com o vice-presidente daquela autarquia, José Luís Oliveira, e com o fiscalista Laureano Gonçalves.

Nas alegações finais, a 4 de Janeiro, a defesa de Valentim Loureiro considerou que se fez "prova esmagadora" da inocência do autarca, enquanto o procurador Carlos Teixeira pediu ao tribunal que decidisse "segundo a sua livre convicção".

De acordo com o processo, o fiscalista Laureano Gonçalves terá obtido uma procuração irrevogável para negociar os terrenos da quinta, em troca de 1,072 milhões de euros, pagos através de cheque da Timmerton, uma sociedade "offshore" que terá sido constituída exclusivamente para este negócio.

Pouco depois, mas ainda antes de os terrenos serem desafectados da Reserva Agrícola Nacional, a propriedade foi revendida à Sociedade de Transportes Colectivos do Porto por quatro milhões de euros.

Ainda segundo a Acusação, Valentim Loureiro, José Oliveira e Laureano Gonçalves terão feito crer à dona da quinta que essa desafectação nunca se concretizaria.

ver mais vídeos