segurança

Operação Furacão já arrecadou 136 milhões de euros para o Estado

Operação Furacão já arrecadou 136 milhões de euros para o Estado

Onze processos em investigação, 69 processos com suspensão provisória, 450 arguidos e 136 milhões de euros arrecadados para o Estado é o balanço atual da Operação Furação.

De acordo com informação prestada à agência Lusa pela Procuradoria-Geral da República, os 136 milhões de euros que entraram nos cofres do Estado compreendem o valor arrecadado nos processos com suspensão provisória (69,5 milhões de euros), o valor regularizado por sujeitos passivos, cuja Inspeção Tributária ainda não concluiu apuramento final (49,5 milhões), e injunções pagas ao Ministério da justiça (17 milhões de euros).

O montante estimado relativo a sujeitos passivos que pretendem regularizar a situação fiscal, mas relativamente aos quais ainda falta realizar o apuramento final, é de 65,5 milhões de euros.

Os 69 processos com suspensão provisória abrangem um total de 203 arguidos - 117 dos quais são pessoas singulares e 86, empresas (pessoas coletivas).

A Operação Furacão, que averigua suspeitas de crime de fraude fiscal e branqueamento de capitais, entre outros ilícitos, começou no final de 2005, com investigações em quatro bancos - BES, BCP, BPN e Finibanco - tendo-se alargado a centenas de empresas de diversos ramos da atividade económica.

O processo, conduzido pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), dirigido pela magistrada Cândida Almeida, é uma das maiores investigações realizadas até hoje em Portugal, na área da criminalidade económico-financeira e fiscal, mas já foram superados diversos prazos estimados para a conclusão da operação.

Outras Notícias