segurança

PJ deteve mais um "hacker" na operação Caretos

PJ deteve mais um "hacker" na operação Caretos

A Polícia Judiciária deteve, quinta-feira à tarde, mais um indivíduo no âmbito da operação "Careto" que visava desmantelar um grupo de alegados piratas informáticos, suspeitos de serem responsáveis por ataques a páginas Internet do Estado e de empresas privadas.

O número de detidos, que são presentes esta sexta-feira para primeiro interrogatório judicial, no Campus da Justiça, eleva-se assim para oito pessoas.

Pelo que o JN apurou, estão a ser lançados vários apelos nas redes sociais e na Internet para uma concentração junto ao Campus da Justiça para mostrar solidariedade para com os detidos pela PJ.

Inicialmente, sete pessoas foram detidas quinta-feira pela Polícia Judiciária por crimes de sabotagem informática, dano informático, acesso ilegítimo e associação criminosa envolvendo o acesso a diversos sistemas informáticos do Estado e também de empresas do setor privado. Entre os detidos está Rui Cruz, responsável pela página "Tugaleaks", e membros do grupo "Anonymous".

O oitavo detido pertence ao grupo dos restantes arguidos. É de Lisboa e foi detido ao final da tarde de quinta-feira.

Os crimes pelos quais estão indiciados - sabotagem informática, dano informático, acesso ilegítimo a diversos sistemas informáticos do Estado e de empresas do setor privado, para além de associação criminosa - têm uma moldura penal que permite a medida de coação de prisão preventiva.

Apesar de, nalguns daqueles crimes, as eventuais penas poderem ser convertidas em multas, segundo a lei do Cibercrime, há outros crimes cujas penas podem chegar aos dez anos de cadeia.