segurança

"Saiu à meia-noite da feira de fumeiro de Vinhais"

"Saiu à meia-noite da feira de fumeiro de Vinhais"

O novo projeto que ocupava o tempo de Manuela Paçó, a Associação Vinhais Solidário está a correr bem. A escritura estava lavrada, faltando apenas o acerto de uns pormenores nas Finanças. Instalaram a sede em três salas da EB1 e há cerca de duas semanas que estão a dar acompanhamento a crianças no estudo.

Nesta semana instalaram um stand no pavilhão de artesanato da Feira do Fumeiro de Vinhais, onde Manuela passou todo o dia e parte da noite de sexta-feira a angariar sócios e a vender doçaria para fazer dinheiro para a associação de que era grande dinamizadora e a mentora da associação. Dada a impossibilidade de criar em Vinhais um polo da LEQUE, Manuela não baixou os braços, atirou-se à constituição da associação, bateu a várias portas e conseguiu arranjar sede e avançar com o projeto.

Este sábado, no stand daquela associação, vivia-se um clima de grande tristeza. Luís Alves, técnico na área das necessidades educativas especiais que dá apoio ao projeto, contou que Manuela tinha estado ali até à meia-noite de sexta-feira, estava bem-disposta, mas algo cansada. "O que é natural, porque esteve aqui bastante tempo", acrescentou. Horas depois, em Bragança, matou o filho e suicidou-se.