segurança

Sobrevivente da tragédia do Meco ouvido como testemunha

Sobrevivente da tragédia do Meco ouvido como testemunha

João Miguel Gouveia, o único sobrevivente da tragédia da praia do Meco, na qual morreram seis jovens estudantes, foi quarta-feira ouvido como testemunha pelo Ministério Público de Almada.

Fonte judicial indicou que João Miguel Gouveia, estudante da Universidade Lusófona, foi ouvido como testemunha pelo procurador coordenador do Círculo de Almada, que chamou a si o inquérito relativo à morte de seis jovens na praia do Meco, ocorrida em dezembro de 2013.

No dia 21 de janeiro, a Procuradoria-Geral da República explicou que "a investigação não é orientada para pessoas determinadas, uma vez que, como oportunamente se informou, não existem, por ora, indícios de que as mortes se tenham devido à prática de crime".

Entretanto, a Polícia Judiciária de Setúbal já ouviu os familiares dos estudantes que morreram.

Os seis jovens que morreram na praia do Meco faziam parte de um grupo de sete estudantes universitários que tinham alugado uma casa na zona, para passar o fim de semana. Segundo as autoridades, uma onda arrastou-os na madrugada de 15 de dezembro, mas um dos universitários conseguiu sobreviver e dar o alerta.

Os familiares das seis vítimas, que já formalizaram o pedido para se constituíram assistentes no processo, que ainda está em fase de inquérito, têm apelado para que o único sobrevivente esclareça as circunstâncias em que ocorreu a tragédia.