José Sócrates

Sócrates justifica por escrito ausência no julgamento do "caso UNI"

Sócrates justifica por escrito ausência no julgamento do "caso UNI"

O ex-primeiro-ministro e antigo aluno da Universidade Independente José Sócrates era esperado, esta segunda-feira, no Tribunal de Monsanto, em Lisboa, como testemunha no julgamento do "caso UNI", mas apresentou um requerimento para justificar a sua auência.

A juíza presidente do colectivo que julga o caso da Universidade Independente, Ana Peres, confirmou que o ex-primeiro-ministro José Sócrates não estará presente na sessão desta segunda-feira, como previsto, mas disse que a justificação apresentada é genérica.

"Fica a falta justificada, embora de forma genérica", afirmou a juíza, não especificando os motivos indicados por José Sócrates para não estar presente. Alegadamente, o ex-primeiro-ministro terá invocado o facto de estar actualmente a residir em Paris para justificar a sua ausência em tribunal.

O depoimento de José Sócrates era aguardado com alguma expectativa pelo advogado de defesa do ex-vice-reitor da Universidade Independente (UNI) Rui Verde, que admitiu à entrada do Tribunal de Monsanto (Lisboa) ponderar um pedido de reabertura do inquérito à licenciatura em engenharia do ex-primeiro-ministro.

José Sócrates foi aluno da Universidade Independente e a forma como concluiu a sua licenciatura em engenharia suscitou muita polémica.

Além de José Sócrates, a sessão do julgamento do "caso UNI" destina-se também à audição do antigo ministro das Obras Públicas João Cravinho.

Entre os principais arguidos estão o ex-reitor Luíz Arouca, o antigo vice-reitor Rui Verde e Amadeu Lima de Carvalho, o antigo accionista da empresa SIDES, acusados de associação criminosa, abuso de confiança, fraude fiscal, burla, corrupção e falsificação de documentos.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG