Sociedade

16% dos incendiários detidos já tinham estado presos

16% dos incendiários detidos já tinham estado presos

Entre os 38 detidos pela Polícia Judiciária pela prática de fogo posto estão vários que já tinham sido presos pelo mesmo crime. Há cerca de 100 pessoas vigiadas por serem consideradas perigosas.

Quinze a 16% dos incendiários detidos pela Polícia Judiciária (PJ) são reincidentes, disse ao JN o diretor da Polícia Judiciária de Coimbra, Rui Almeida, que tem estado a coordenar o dossiê. Ao que o JN apurou, as autoridades estão a vigiar cerca de 100 pessoas consideradas perigosas, por terem comportamentos de risco ou antecedentes criminais, tendo várias sido apanhadas este ano a deitar fogo à floresta.

Só na noite de sexta-feira a PJ deteve três homens, com idades entre os 23 e os 51 anos - dois na zona de Mangualde e outro em Lamego - suspeitos da prática de vários crimes de incêndio florestal. São fogos que consumiram várias dezenas de hectares de floresta e provocaram "significativos prejuízos patrimoniais e ambientais" , tendo um deles chegado a pôr em perigo habitações no Lugar de Caldelas, Penajóia, divulgou a PJ em comunicado. Um deles, "agindo num quadro impulsivo e de atração pelo fogo", utilizou um isqueiro para atear fogo a uma densa zona florestal. Outro atirou uma beata ainda incandescente para um pinhal.

Leia mais na edição e-paper ou na edição impressa

Outros Artigos Recomendados