Sociedade

Abelhas em risco de extinção na Europa

Abelhas em risco de extinção na Europa

24% das espécies de abelha da Europa estão em perigo de extinção de acordo com um estudo da Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas da UICN, União International para a Conservação da Natureza.

O estudo analisa as 68 espécies de abelhas que estão presentes na Europa. As abelhas, assim como outros polinizadores, desempenham um papel fundamental na garantia de produção de alimentos. Eles permitem que as plantas se reproduzam e melhoraram a produção de culturas, como o tomate, o pimento e muitos outros tipos de frutas, legumes e sementes que compõem a dieta do ser humano. Dos cinco mais importantes polinizadores de culturas europeias, três são espécies de abelha. E por ano, as abelhas, juntamente com os outros polinizadores, contribuem com mais de 22 bilhões de euros para a agricultura europeia.

"Estamos muito preocupados com estes resultados. Esta alta proporção de abelhas ameaçadas pode ter sérias implicações para a nossa produção de alimentos", diz Ana Nieto, ministra Europeia da Biodiversidade da UICN e coordenadora do estudo. E acrescenta ainda quais são as soluções: "Proteger espécies e habitats de abelhas, restaurar ecossistemas degradados e promover práticas agrícolas amigas da biodiversidade será essencial para reverter as tendências negativas nas populações de abelhas europeis".

De acordo com o estudo, 46% das espécies de abelhas na Europa estão em declínio, 29% são estáveis e 13% estão a aumentar. A mudança climática, a intensificação da agricultura e as mudanças constantes do uso das terras agrícolas são as principais ameaças à espécie. Outras razões incluem a poluição agrícola e perda de habitat devido ao desenvolvimento urbano.

"A situação das abelhas da Europa é um problema que precisa de ser combatido em todas as frentes. A União Europeia proibiu ou restringiu o uso de certos pesticidas que são perigosos para as abelhas, e está a financiar pesquisas sobre o estado dos polinizadores" , diz Janez Potocnik, Comissário Europeu do Ambiente. "No entanto, os esforços precisam de ser amplificados, através de uma melhor integração da biodiversidade nas outras políticas, mas também para aumentar a consciêncialização sobre os benefícios que os polinizadores trazem."

A maior abelha da Europa, Bombus fragrans, está seriamente ameaçada pela intensificação da agricultura, que está a destruir o seu habitat natural sobretudo na Ucrânia e na Rússia .

Bombus hyperboreus, a segunda maior abelha da Europa, também esta na lista como vulnerável. Esta associada a regiões árticas e subárticas e só vive na tundra escandinava e no extremo norte da Rússia. As alterações climáticas poderão reduzir drasticamente a área do seu habitat, levando à diminuição da população.

PUB

"A contribuição das abelhas para a segurança alimentar e para a manutenção da biodiversidade vegetal é uma parte essencial do capital natural da Europa", diz Simon Potts, coordenador do projeto.

Medidas como o aumento das margens e faixas de proteção em torno dos campos agrícolas que são ricos em flores e animais selvagens e para a preservação das pastagens são consideradas ferramentas eficazes para reduzir o rápido declínio das espécies de abelha.

Esta avaliação surgiu no momento em que o progresso da implementação da estratégia da Europa para travar a perda de biodiversidade está sob revisão.

O estudo salienta assim a necessidade de esforços de conservação e de ser implementada a Estratégia de Biodiversidade da UE para 2020, a fim de cumprir a meta de biodiversidade até 2020 para travar a extinção de seres vivos e a degradação dos ecossistemas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG