Alterações climáticas

Alterações climáticas deixam mil milhões de pessoas em risco

Alterações climáticas deixam mil milhões de pessoas em risco

Cerca de mil milhões de pessoas vivem em zonas que se podem tornar de alto risco devido ao aquecimento global, revela um estudo do Banco Mundial divulgado na terça-feira no Brasil.

"Para muitas das pessoas pobres que vivem nas cidades as cheias e os deslizamentos de terra podem já fazer parte da rotina, mas as alterações climáticas podem piorar a situação", afirmou o presidente do Banco Mundial (BM), Robert Zoellick, citado pela AFP.

Robert Zoellick explicou que as áreas vulneráveis vão estar mais sujeitas a deslizamentos de terras, inundações, assim como à subida do nível do mar.

Para contornar o problema o responsável do Banco Mundial defendeu a necessidade dos responsáveis políticos investirem no planeamento e na gestão urbana de forma a adaptarem-se às mudanças climáticas e assim reduzirem o risco de desastres naturais.

A divulgação do estudo surge na véspera da realização de uma conferência sobre clima que reúne quarenta grandes cidades, entre as quais Nova Iorque, Jacarta, Berlim, Barcelona, Rio de Janeiro, Barcelona e Cidade do México.

Nas quarenta cidades representadas na conferência habitam cerca de 300 milhões de pessoas que contribuem para a produção de 10 por cento das emissões globais de gases de efeito de estufa para a atmosfera.

Outras Notícias