Sociedade

Autoridades ainda sem pistas sobre queixas que já afetaram 165 banhistas

Autoridades ainda sem pistas sobre queixas que já afetaram 165 banhistas

As autoridades registaram 165 queixas de irritação cutânea em pessoas que tomaram banho em praias da Costa de Caparica e da linha de Cascais, desde o dia 10 de julho, segundo a Agência Portuguesa do Ambiente.

Desde essa altura, têm sido realizadas análises à água das praias onde têm sido reportados mais casos, mas os resultados continuam a ser inconclusivos.

"Confirma-se que não há um nexo causal entre as microalgas e a sintomatologia detetada", disse à agência Lusa o porta-voz da Agência Portuguesa do Ambiente (APA), Filipe Távora, acrescentando que as microalgas estão "dentro dos padrões normais".

Na segunda-feira, a APA tinha levantado a interdição de banhos nas praias de Santo Amaro de Oeiras, Carcavelos, Torre e São João de Caparica, por não ter detetado uma relação causa-efeito entre as queixas dos banhistas e a presença de microalgas, mas na quarta-feira a prática de banhos voltou a ser desaconselhada, após surgirem novos casos de irritação cutânea, em todas as praias da margem Sul, da Costa de Caparica até ao Cabo Espichel, e na margem Norte em São Pedro do Estoril.

As autoridades continuam a desaconselhar a prática de banhos nas praias da margem Sul (São João da Caparica, Costa de Caparica, Fonte da Telha, Lagoa de Albufeira e Meco) e Norte (S. Pedro do Estoril), embora não tenham sido reportados novos casos até à tarde de quinta-feira.

Na quarta-feira, registaram-se mais de 70 casos de irritação cutânea, com sintomas de comichão e vermelhidão da pele, nas praias da Costa de Caparica e 12 em São Pedro do Estoril.

Os banhos são desaconselhados, sobretudo a crianças e pessoas com maior fundo alérgico, recomendando-se a passagem do corpo por água doce caso tomem banho.

Outras Notícias