França

Casal de portugueses desaparecido há uma semana em França

Casal de portugueses desaparecido há uma semana em França

Um casal de portugueses de 57 anos, residente em Moissac, perto de Montauban, sudeste de França, desapareceu na passada sexta-feira, "sem deixar qualquer rasto", disse a vice-cônsul de Portugal em Toulouse.

Tem informações sobre este caso? Escreva-nos para informa@jn.pt

Noélia Pacheco disse à agência Lusa que Benigno Santos Ferreira e a sua mulher, Francelina Conceição Gomes, ambos de 57 anos, estão há pouco tempo em França, ele desde 2010, ela desde 2011. Nenhum dos dois regressou a casa depois de, na passada sexta-feira, terem jantado com um casal amigo, a cerca de dois quilómetros do local onde viviam.

Benigno Ferreira e Francelina Gomes são da vila de Ansião, no concelho de Leiria. O homem, pintor na construção civil, trabalhava numa exploração agrícola. A mulher não estava empregada.

Segundo a vice-cônsul, foi um dos filhos do casal, o único que vivia em França, que alertou a polícia para o desaparecimento quando, por volta das 05.00 horas de sábado, chegou a casa e não encontrou os pais nem conseguiu contactá-los. O pai tinha deixado o telemóvel em casa.

"Esta é uma situação anormal e preocupante. Desapareceram sem deixar qualquer rasto. Foram vistos pela última vez entre as 23.30 horas e as 00.00 horas. A polícia continua a fazer buscas mas sem qualquer pista. Segundo diz o filho, e também como já confirmaram as autoridades, os pais não fizeram qualquer movimento bancário desde o dia em que desapareceram", acrescentou.

Noélia Pacheco afirmou ainda que Benigno Ferreira e Francelina Gomes se deslocavam num carro que teriam comprado há pouco tempo, e do qual também não se tem rasto: "É um Citroën branco, com a matrícula BL 874 LT. Temos apelado a quem saiba alguma coisa que nos contacte. Estamos a seguir o caso de perto, junto da família e da polícia", afirmou.

De acordo com a página na Internet do jornal francês "La Depeche", a polícia não exclui a hipótese de o casal ter decidido, "de um momento para o outro", ir a Portugal, nem exclui a hipótese de suicídio.

A vice-cônsul considera, no entanto, que "é estranho que, tendo ido para Portugal, não tenham gasto dinheiro, pelo menos para pôr gasolina no carro". Quanto à hipótese de suicídio, Noélia Pacheco diz que o filho garante que "os pais estavam agora melhor financeiramente e que nunca falavam em morrer".

A polícia francesa está agora a contactar todos os números da lista do telemóvel do homem desaparecido. As autoridades encontraram, entretanto, nas imagens das câmaras de segurança da portagem de uma autoestrada a oito quilómetros da casa do casal, registo da passagem de um carro branco na madrugada do desaparecimento. Contudo, é impossível distinguir a matrícula do veículo. O "La Depeche" escreve que, caso o casal continue desaparecido, as autoridades deverão requerer a cassete original.