O Jogo ao Vivo

Sociedade

Caudais mínimos de Espanha não vão afectar navegabilidade do rio Douro

Caudais mínimos de Espanha não vão afectar navegabilidade do rio Douro

A navegabilidade no rio Douro não deverá ser afetada pela redução do caudal abaixo dos mínimos em Espanha, disse, esta quinta-feira, à Agência Lusa fonte do Instituto Portuário Transportes Marítimos.

O diretor delegado do IPTM do Norte e Douro, Joaquim Gonçalves, explicou que o processo de navegabilidade está montado com um regime de cotas máximas e mínimas que são garantidas pela EDP.

Abaixo da cota mínima a EDP não turbina, não faz produção de energia elétrica, e esta é, segundo o responsável, suficiente para garantir as condições de segurança à navegabilidade.

PUB

"Não se prevê que daí resulte qualquer dificuldade para o processo de navegação", salientou.

Por causa da situação de seca que se vive em Espanha, foi aplicado no rio Douro o regime de exceção previsto no Convénio de Albufeira, que gere os rios ibéricos.

O convénio determina que estes caudais não se aplicam quando a pluviosidade é inferior a 65% da média acumulada na bacia nesse período.

Joaquim Gonçalves referiu mesmo que este está a ser um "ano excecional e de grande qualidade para a navegabilidade".

Isto porque, a falta de água provocou "excelentes condições de navegação" que permitiram reduzir a sazonalidade e começar, já em março, a operar com condições de segurança total para todo o tipo de embarcações.

As embarcações hotel iniciaram a sua atividade na segunda-feira.

O diretor delegado projeta para este ano "um aumento na ordem dos 8 %, no número de turistas que irão utilizar a Via Navegável do Douro em barco hotel".

A navegabilidade do douro registou no ano passado, relativamente às embarcações hotel, uma subida na ordem 21%.

Em 2011 foram perto de 27 mil os turistas que viajaram a bordo dos barcos hotel.

Entre barcos hotel, embarcações marítimo turísticas e embarcações de recreio, foram mais de 185 mil os turistas que navegaram, em 2011, acima de barragem de Crestuma.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG