Sociedade

Comerciante português assassinado na Venezuela

Comerciante português assassinado na Venezuela

Desconhecidos assassinaram um emigrante português, natural da Madeira, na madrugada de sábado, quando se preparava para abrir o seu estabelecimento comercial, em Prado Maria, uma urbanização do sudoeste de Caracas, revelaram segunda-feira fontes da comunidade portuguesa.

"Ele vinha abrir o supermercado. Estava a apenas dois quarteirões quando foi interceptado por dois assaltantes que lhe roubaram a carteira, algum dinheiro e lhe deram um tiro, que cruzou um braço e saiu pelas costas, e fugiram de motorizada", explicou um dos vizinhos à agência Lusa.

José Rodrigues, cunhado da vítima, explicou que várias pessoas tentaram auxiliar o comerciante e o transportaram até um centro de saúde, onde deu entrada porém já sem vida.

João Batista Rodrigues, 51 anos, foi assassinado às 7.45 horas locais de sábado. Era natural da Madeira e emigrou para a Venezuela quando ainda era criança.

Já geria o Supermercado Aló, em Prado Maria, a sudoeste de Caracas, há cinco anos, e vivia em Las Adjuntas, a oeste de Caracas, e todos os dias viajava de metropolitano até Praça Venezuela (centro-leste), onde apanhava um autocarro para chegar ao trabalho.

Era casado e tinha dois filhos.

Segundo a imprensa venezuelana durante o último fim-de-semana pelo menos 58 pessoas foram assassinadas em Caracas.

A insegurança na Venezuela, que afecta tanto os venezuelanos como os estrangeiros, é uma das preocupações constantes da comunidade portuguesa, que se queixa da falta de medidas efectivas para a combater.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG