Sociedade

Comunidade chinesa tem 5000 lojas em Portugal

Comunidade chinesa tem 5000 lojas em Portugal

O impacto da comunidade chinesa em Portugal pode medir-se pelo número de estabelecimentos: cerca de 300 restaurantes, quase 500 armazéns e entre 4.000 e 5.000 lojas, segundo contas do presidente da Liga dos Chineses em Portugal.

De acordo com Y Ping Chow, Portugal conta com cerca de 20.000 cidadãos de nacionalidade e de ascendência chinesa, a maioria dos quais dedicada a lojas.

"A maioria tem lojas, os restaurantes passaram a ser secundários. Começaram pelos restaurantes, mas agora apostam nas lojas, porque o investimento é menor e o negócio mais rentável", explicou Y Ping Chow à Lusa.

PUB

Em 1979, quando Portugal estabeleceu relações diplomáticas com a República Popular da China, "havia apenas algumas centenas de chineses no país, praticamente todos com passaporte de Taiwan", disse.

A partir de 1990, "registou-se um aumento significativo com a ajuda da regularização extraordinária da lei de imigração portuguesa".

Segundo dados do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), o número de pessoas de nacionalidade chinesa a residir em Portugal quase quadruplicou entre 1999, ano da transferência de Macau para a China, e 2007, passando de 2.762 para 10.448.

O salto mais significativo ocorreu entre 2005 e 2006, em que passaram de 5.551 para 10.167.

Além dos indivíduos de nacionalidade chinesa, os números da Liga dos Chineses em Portugal incluem os que entretanto adquiriram a nacionalidade portuguesa.

É o caso de Y Ping Chow, 54 anos, que chegou a Portugal com oito, para se fixar no Porto, onde reside, e que se naturalizou português em "1975-76".

"Vim com os meus pais em 1963 e juntámo-nos aos meus avós, que já estavam em Portugal desde os anos 30, no Porto, na zona da Batalha", contou, referindo que a família é oriunda de Zhejiang, uma província do Leste da China, perto de Xangai.

Ao fim de 46 anos em Portugal, Y Ping Chow não hesita e garante peremptoriamente: "vivo como um português".

Y Ping Chow admitiu que "muitos portugueses acham os chineses um pouco fechados", mas garante que os chineses mantêm "convívio com a comunidade portuguesa, principalmente ao nível comercial".

A integração dos chineses em Portugal, segundo Y Ping Chow, é fácil, embora haja "sempre alguns, os que vieram mais recentemente, que sentem falta da família e têm poucos conhecimentos da língua portuguesa".

"Mas integram-se com a comunidade chinesa e isso facilita a integração em Portugal", explicou.

Contou também que uma "grande parte dos filhos frequentam escolas portuguesas e utilizam escolas chinesas privadas para aprendizagem da língua".

Y Ping Chow, que visita a China com frequência, considerou que as relações entre os dois países "têm-se desenvolvido" e garantiu que a "China tem um grande respeito e consideração por Portugal".

Por isso, deixou um conselho: "Portugal pode ser uma grande parceiro da China na relação com os países lusófonos e também no relacionamento com a Europa do Sul".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG