Espanha

Concluída autópsia a corpo de jovem português que morreu em Lloret

Concluída autópsia a corpo de jovem português que morreu em Lloret

Os médicos forenses concluíram, esta terça-feira, a autópsia do jovem português de 17 anos que morreu domingo em Lloret de Mar, em Espanha, e o corpo deverá ser libertado em breve, confirmou fonte policial.

Depois de concluído este processo, explicou fonte ligada ao processo à Lusa, falta ainda terminar algumas tramitações obrigatória antes que o corpo possa ser libertado para a sua transladação para Portugal.

A informação sobre as investigações policiais e sobre os resultados da autópsia estão ainda em segredo de justiça, devendo a causa de morte ser incluída na certidão de óbito que acompanhará depois o corpo quando for transferido para Portugal.

Fonte consular português explicou que as autoridades portuguesas estão a acompanhar todo o caso, procurando que as autoridades espanholas agilizem os processos burocráticos pendentes.

O consulado ajuda na parte burocrática da transferência e os custos serão assumidos pela seguradora da agência de viagens responsável pela viagem do grupo de alunos da Escola Secundária de Castro Verde que integrava a vítima.

Fonte policial tinha confirmado que o inquérito policial preliminar sobre a morte do jovem de 17 anos foi entregue ao juiz de instrução ao final da manhã que posteriormente ordenou a autópsia.

O jovem, de 17 anos, morreu após ter caído da janela do quinto andar do empreendimento hoteleiro em que estava alojado, em Lloret de Mar, onde estava em viagem de finalistas do 12.º ano da Escola Secundária de Castro Verde, com outros 21 colegas.

Na segunda-feira, fonte policial explicou à Lusa que as duas hipóteses avaliadas pelos investigadores apontavam para uma queda acidental ou de suicídio.

Os investigadores "descartam a hipótese de uma morte violenta, de origem criminosa" ou que se tenha tratado de um caso de 'balconing', prática de jovens que se atiram das janelas e varandas dos hotéis para as piscinas.

O jovem, de 17 anos, morreu após ter caído da janela do quinto andar do empreendimento hoteleiro em que estava alojado, em Lloret de Mar, onde estava em viagem de finalistas do 12.º ano da Escola Secundária de Castro Verde, com outros 21 colegas.

Os colegas do jovem já estão em casa, após terem regressado a Portugal na segunda-feira à noite, em dois voos provenientes de Barcelona, sendo que as viagens de 20 deles foram pagas pelo município de Castro Verde.