Sociedade

Desafios da sociedade devem ser enfrentados com diálogo construtivo, advertiu o Papa

Desafios da sociedade devem ser enfrentados com diálogo construtivo, advertiu o Papa

O Papa Francisco recomendou, este sábado, no Rio de Janeiro, o recurso a um "diálogo construtivo", que considera fundamental para enfrentar os desafios da sociedade atual.

"Considero como fundamental, para enfrentar o presente, o diálogo construtivo. Entre a indiferença egoísta e o protesto violento, a opção sempre possível é o diálogo", disse Francisco.

O Papa fez estas declarações num encontro com autoridades, representantes da sociedade civil e das maiores comunidades religiosas do país, no Teatro Municipal do Rio de Janeiro, com mais de 2.000 pessoas.

"O diálogo entre as gerações, o diálogo com o povo" deve ser permanente, disse, acrescentando que, ou é colocado "o foco na cultura da reunião, ou todos perdem".

Quando se cumpre um mês e meio de protestos da população do Brasil, que pede o fim da corrupção, a moralização da política e mais serviços públicos e de qualidade, o Papa Francisco pediu aos dirigentes brasileiros para serem "firmes nos seus valores éticos" e erradicarem a pobreza, num país onde o fosso entre ricos e pobres ainda é enorme.

"Nós somos responsáveis pela formação das novas gerações, para que sejam competentes na economia, na política e firmes sobre os valores éticos", frisou.

O mundo político deve "aumentar e melhorar a participação do povo, evitar os elitismos e erradicar a pobreza", indicou o líder católico.

"O clamor que pede justiça continua ainda nos dias de hoje", sublinhou, elogiando depois a originalidade da dinâmica que caracteriza a cultura brasileira, com a sua capacidade de integrar elementos diversos.

Francisco foi acompanhado neste encontro pelo secretário de Estado do Vaticano, Tarcísio Bertone.

Na ocasião, um jovem relatou a sua experiência com a pobreza, com a toxicodependência, e como a Igreja o ajudou a superar todas as barreiras e a tornar-se professor universitário.

Francisco foi, depois, homenageado e recebeu vários presentes de participantes no evento, incluindo um cocar (espécie de chapéu) de um indígena.

Centenas de pessoas estiveram concentradas, durante horas, com chuva e frio, diante do Teatro Municipal para poder ver o Papa.

Francisco foi almoçar com a presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), com cardeais e bispos brasileiros e com a comitiva papal, na Residência do Sumaré, onde está hospedado.

Já na manhã deste sábado, o Papa celebrou missa na catedral metropolitana do Rio de Janeiro, para cerca de cinco mil religiosos que participam nas Jornadas Mundiais da Juventude (JMJ), que se realizam na cidade.

Ao final da tarde, o Papa participa na vigília das Jornadas, em Copacabana.

Os peregrinos, que serão cerca de 1,5 milhões, vão poder dormir na praia de Copacabana, segundo a prefeitura da cidade.

Outras Notícias