Sociedade

Cinco alunos suspensos durante quatro períodos de praxe por práticas violentas

Cinco alunos suspensos durante quatro períodos de praxe por práticas violentas

O Conselho de Veteranos da Universidade de Coimbra decidiu, esta quarta-feira, suspender cinco alunos do exercício da praxe durante os próximos quatro períodos de praxe, com início no próximo ano letivo, após queixas de práticas violentas sobre caloiros.

Em termos práticos, a suspensão dura durante todo o próximo ano letivo (que inclui quatro períodos de praxe) e significa que os alunos punidos "deixam de poder participar em tudo o que é praxe", explicou hoje o 'dux veteranorum", João Luís Jesus.

Uma das alunas a quem esta sanção foi aplicada regrediu também dois graus na hierarquia da praxe, passando de 'bacharel' para 'puto'.

O Conselho de Veteranos, que aplicou sanções a um total de sete alunas e um aluno, determinou também suspender duas jovens do exercício da praxe nos próximos três períodos de praxe.

Uma outra jovem foi suspensa do exercício da praxe durante o próximo período, que vai de setembro até ao Natal.

No final de março foram apresentadas três queixas de "agressões gratuitas" ao Conselho de Veteranos por seis alunas, relativas a factos acontecidos em novembro, e este órgão remeteu duas das participações, que diziam respeito a "agressões gratuitas", para o Ministério Público, explicou o 'dux veteranorum', responsável máximo do Conselho.

A análise da queixa que agora determinou a aplicação de sanções a estes oito alunos concluiu pela violação de vários artigos do Código da Praxe da Universidade de Coimbra, com a prática de infrações como a privação de direitos dos caloiros e a comunicação de informações erradas, induzindo os visados em erro, adiantou João Luís Jesus.

"Foram também ultrapassados alguns princípios, com o exagero das brincadeiras, e algumas das pessoas assumiram graus que não tinham", acrescentou.

Ao referir que as sanções agora aplicadas, depois de ouvidos todos os queixosos e acusados, são de gravidade média, o 'dux veteranorum' afirmou que "a praxe é para as pessoas se conhecerem e divertirem e não para o exercício de frustrações pessoais que nada têm a ver com a praxe e com o espírito de Coimbra".

Durante o período da sanção, aos alunos punidos é apenas permitido "usar capa e batina, considerado um direito individual", acrescentou.

O Conselho de Veteranos decidiu ainda "tomar medidas tendo em vista uma melhor fiscalização e limitação do exercício da praxe académica da UC", lê-se num comunicado divulgado hoje por este órgão.