Sociedade

Colégios inflacionam notas e dão 90% de vantagem a alunos

Colégios inflacionam notas e dão 90% de vantagem a alunos

O padrão repete-se desde que os exames nacionais são aplicados no Secundário como forma de acesso ao Superior: há escolas que sistematicamente inflacionam as classificações dadas pelos estabelecimentos aos alunos, de modo a subir-lhes a média de ingresso.

A prática é mais comum entre colégios do que entre escolas públicas. De acordo com a investigação de Gil Nata e Tiago Neves, se a média tiver sido inflacionada num valor percentual permite ao aluno, num curso competitivo como Medicina, saltar 90% dos lugares na lista de ingresso. Nos cursos menos competitivos, o impacto chega aos 30%.

Os investigadores do Centro de Investigação e Intervenção Educativas da UP apuraram a diferença entre as notas internas e de exame de cada escola, desde 2001 até 2014, relativamente a um desvio médio nacional. O objetivo, no entanto, não era fazerem um ranking das escolas que mais inflacionam até às que deflacionam as notas dos alunos mas sim, a partir dessa denúncia, defenderem a revisão urgente do modelo de acesso ao Superior.

Ler mais na versão e-paper ou na edição impressa

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG