Sociedade

Docentes aprovados na "prova comum" fazem "especifica" em março

Docentes aprovados na "prova comum" fazem "especifica" em março

Os professores que tenham aprovação na Prova de Conhecimentos marcada para dezembro terão de realizar a prova específica entre março e abril, que é obrigatória para poderem dar aulas, anunciou o secretário de Estado João Grancho.

Em declarações à Lusa, o secretário de Estado do Ensino Básico e Secundário, João Grancho, lembrou esta sexta-feira que a Prova de Conhecimentos e Capacidades tem duas componentes: a comum, que está agendada para 18 de dezembro, e a específica, que deverá ser realizada "em março ou abril".

"A componente comum visa essencialmente comprovar a existência de requisitos mínimos em áreas como sejam a leitura, a ortografia, a escrita, a morfologia e a sintaxe, assim como a mobilização de raciocínio lógico e a resolução de problemas", defendeu João Grancho, voltando a sublinhar que a prova se dirige apenas aos professores não integrados na carreira docente.

O responsável lembrou que a prova é mais uma forma escolhida pelo Ministério da Educação e Ciência para garantir um ensino público de qualidade. "Nós queremos que os alunos tenham os melhores professores. Nós queremos que os pais confiem na escola e, por isso, estamos a tomar várias medidas", anunciou.

Entre os meses de março e abril, os professores que tenham aprovação na componente comum irão realizar a componente específica, que será "dirigida aos conhecimentos específicos nas áreas disciplinares de cada docente".

Segundo João Grancho, "é o conjunto destas duas componentes que vai aferir a qualidade dos docentes".

Sobre as criticas feitas pelos sindicados de professores, durante o dia de hoje, após a divulgação do Guia da Prova na noite de quinta-feira, João Grancho defendeu que a prova "é equilibrada".

Além da Prova de Conhecimentos e Capacidades, o MEC quer aumentar a exigência para a formação inicial de professores, obrigando à realização de provas de Português e Matemática para quem queira aceder aos cursos de formação inicial de professores.

"Estamos também a rever as habilitações para a docência", acrescentou João Grancho.

As inscrições para a prova estão abertas no site da Direção-Geral da Administração Escolar. A prova destina-se a educadores de infância e professores do ensino básico e secundário, não integrados na carreira docente.

Os principais sindicados de professores já anunciaram uma greve para o dia da prova, 18 de dezembro.