Ensino Superior

Docentes em Timor com 141 mil euros em atraso

Docentes em Timor com 141 mil euros em atraso

Portugueses e brasileiros estiveram em 2012 em Timor-Leste no âmbito do projeto LIFAU a ensinar Português. Com milhares de euros por receber, ponderam agora avançar para tribunal.

Um grupo de nove portugueses reclama da Fundação das Universidades Portuguesas (FUP) 48 mil euros de salários em atraso, depois de terem estado em Timor no âmbito de um projeto de ensino da língua portuguesa, durante 2012. O projeto, designado LIFAU, envolve um protocolo com o governo daquele país e a Universidade Nova de Timor-Leste (UNTL).

Leia mais na edição e-paperou na edição impressa