escolas

Escolas passam com distinção na avaliação externa da Inspeção-Geral

Escolas passam com distinção na avaliação externa da Inspeção-Geral

A maioria das escolas avaliadas pela Inspeção-Geral da Educação e Ciência no ano letivo de 2011-2012 obteve classificações de Muito Bom e Bom em domínios como liderança e gestão, resultados ou prestação do serviço educativo.

Os resultados constam do relatório "Avaliação Externa das Escolas 2011-2012", publicado na página na Internet da IGEC.

A avaliação divide-se em três domínios principais - resultados, liderança e gestão e prestação do serviço educativo - que por sua vez se subdividem em categorias, analisadas do ponto de vista dos seus pontos fortes e de áreas de melhoria, sendo que apenas na subcategoria de liderança há uma clara superioridade dos pontos fortes relativamente às áreas de melhoria.

De acordo com as conclusões apresentadas no documento, o domínio de liderança e gestão é o único em que foram atribuídas classificações de Excelente (a 0,9% das escolas). Neste domínio, 51,1% das escolas avaliadas obtiveram a classificação de Muito Bom.

Quanto à prestação do serviço educativo, a IGEC destaca que é a área com segunda atribuição de classificações mais elevadas, com um terço das escolas (34,7%) avaliadas com Muito Bom e mais de metade (59,7%) com Bom.

Nos resultados, a grande maioria das escolas avaliadas (61,7%) obteve a classificação de Bom, e 23,4% foram classificadas com Muito Bom. Este domínio foi o único a registar classificação negativa, com 0,4% das escolas a obterem Insuficiente.

A visão estratégica e fomento do sentido de pertença/identificação com a escola, o desenvolvimento de projetos, parcerias e soluções inovadoras, e a prevenção da desistência e do abandono são as três áreas mais referidas como pontos fortes das escolas na avaliação realizada pela IGEC.

PUB

Quanto aos pontos negativos, ou áreas de melhoria mais identificadas por este relatório, destacam-se o acompanhamento e supervisão da prática letiva, a gestão articulada do currículo.

Para esta avaliação foram selecionadas 231 unidades escolares, tendo como critérios as escolas avaliadas em 2005-2006 pelo Grupo de Trabalho para a Avaliação das Escolas (escolas com contrato de autonomia, na quase totalidade), as escolas avaliadas pela Inspeção-Geral da Educação nos anos letivos de 2006-2007 e 2007-2008, com prioridade para as que tiveram classificações mais baixas, as escolas, de entre as anteriores, cuja estrutura orgânica não tivesse sido alterada nos últimos dois anos (com a constituição de novos agrupamentos, por exemplo) e as escolas onde não estivessem a decorrer intervenções da Parque Escolar.

Desta seleção resultou uma análise de 1015 estabelecimentos de educação pré-escolar e dos ensinos básico e secundário, com uma incidência de distribuição percentual pelo território a rondar os 20% em cada uma das regiões (Norte, Centro, Lisboa e Vale do Tejo e Alentejo e Algarve).

Para a avaliação externa do presente ano letivo, a IGEC refere no relatório que vão ser analisados 145 agrupamentos de escolas e escolas não agrupadas, de acordo com os seguintes critérios: escolas avaliadas há mais tempo, escolas com classificações mais baixas no primeiro ciclo de avaliação, escolas cuja estrutura orgânica não tivesse sido alterada nos últimos dois anos, e escolas onde não estivessem a decorrer intervenções pela Parque Escolar.

O documento da IGEC revela ainda que a visita das equipas de avaliação externa decorre desde janeiro e até maio de 2013, "em consonância com o calendário escolar e de acordo com a disponibilidade de recursos".

A IGEC sublinha que a avaliação externa das escolas "pretende constituir um contributo relevante para o desenvolvimento das escolas", procurando "incentivar práticas de autoavaliação, promover uma ética profissional marcada pela responsabilidade, fomentar a participação social na vida da escola e oferecer um melhor conhecimento público do trabalho das escolas".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG