Ministério da Educação

Fenprof diz que procedimentos anunciados pelo Governo não resolvem erros

Fenprof diz que procedimentos anunciados pelo Governo não resolvem erros

O secretário-geral da Fenprof, Mário Nogueira, considerou, esta terça-feira, que o anúncio pelo Governo da realização de dois procedimentos concursais, um de colocação de professores e outro relativo às bolsas de contratação de escolas, não resolve os erros cometidos.

O secretário de Estado da Administração Escolar, João Casanova, disse na segunda-feira que o Ministério da Educação e Ciência (MEC) vai realizar dois procedimentos concursais de grande dimensão que vão abranger apenas escolas de Territórios Educativos de Intervenção Prioritária (TEIP) e escolas com contratos de autonomia.

Em declarações à agência Lusa, o secretário-geral da Federação Nacional dos Professores (Fenprof) esclareceu que este anúncio não resolve nem corrige erros que prejudicaram os professores, famílias e alunos.

"Não resolve erros e não traz nenhuma novidade", disse Mário Nogueira, sublinhando que "o que o secretário de Estado anunciou foi a realização de dois procedimentos concursais e não abertura de concursos".

De acordo com o sindicalista, um dos procedimentos concursais tem a ver com a colocação de professores no âmbito da reserva de recrutamento nacional e outro com as chamadas bolsas de contratação de escolas, que já estava previsto.

"Estes procedimentos acontecem todas as semanas, havendo necessidade de preencher lugares nas escolas. Esta semana vão é ter um número maior de colocações do que era suposto", frisou.

No arranque da quarta semana de aulas, ainda há milhares de alunos com furos. A anulação de colocações, na sexta-feira, provocou nova onda de mobilidade de professores. Faltam nove semanas para as férias.