Sociedade

Greve dos professores pode durar se Governo não recuar

Greve dos professores pode durar se Governo não recuar

A Fenprof decidiu prolongar a greve a partir de dia 18 de junho, caso o Governo não recue na proposta de colocar os professores em mobilidade especial e de aumentar o horário de trabalho.

"Caso as greves às avaliações, que vão decorrer nos dias 7, 11, 13 e 14, e a greve geral dos professores, do dia 17 de junho, não surtam efeito,"serão entregues novos pré-avisos de greve até ao tempo que for preciso", anunciou o secretário-geral da Federação Nacional dos Professores, Mário Nogueira.

A possibilidade de prolongar a luta foi decidida durante uma reunião do secretariado-geral da Fenprof, que reúne docentes de todo o país, ilhas e estrangeiro.

O sindicalista disse, ainda, que para a greve geral de dia 17 de junho "também haverá um pré-aviso específico para o ensino superior" e que o dia de luta deverá também contar com os docentes do ensino particular e cooperativo.

Em relação à negociação sobre a mobilidade especial dos professores, Mário Nogueira anunciou a posição do secretariado-geral, a qual vai fazer chegar ao Ministério da Educação ainda hoje.

"Simplesmente rejeitamos qualquer tipo de abertura", acrescentou.

Outras Notícias